Notícias

Governo do Tocantins doa mais de quatro toneladas de alimentos da agricultura familiar para Recursolândia e Presidente Kennedy

22/03/2021 - Lúcia Brito/Governo do Tocantins

Em Recursolândia e Presidente Kennedy, o Governo do Tocantins, por meio do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), mais uma vez beneficia famílias que estão em fragilidade social, devido à pandemia provocada pelo novo coronavirus, com a doação de mais de quatro toneladas de alimentos da agricultura familiar, adquiridos pelo Programa de Aquisição de Alimentos (PAA), o Compra Direta Local na modalidade doação simultânea.

O extensionista Isaias Gama, responsável pela coordenação local do PAA, ressalta que o programa é uma iniciativa do governo federal, sendo no Tocantins, executado pelo Governo do Estado.

“O PAA  adquire  os alimentos diretamente dos produtores rurais e doa as entidades socioasssistenciais, previamente cadastradas pelo Ruraltins. As entidades por sua vez beneficiam as pessoas em situação de insegurança alimentar e nutricional com a entrega de  kits dos alimentos recebidos”, explica o extensionita, complementando que nos dois municípios a entidade beneficiada foi o Centro de Referência da Assistência Social (Cras),  por ser a única funcionando neste tempo da pandemia, nessas localidades.

Em Recursolândia o Cras recebeu, na sexta-feira,19, mandioca, milho, abóbora, farinha e banana. “É com o sentimento de gratidão que recebemos esses alimentos e distribuímos para as famílias de baixa renda do nosso município. Produtos esses que complementam a alimentação das famílias que neste período de pandemia vivem dias difíceis devido a crise financeira”, disse Raquel Pinheiro Tavares Barbosa, coordenadora do Cras, que atende 180 familias.  

O secretário Municipal de Agricultura, Moisés Noleto, destaca a importância dessa parceria com o governo estadual em beneficio do produtor rural.

“Com essa união entre a Prefeitura de Recursolândia e o Governo do Estado, através do Ruraltins, os produtores só têm a ganhar, pois além de produzirem para o sustento conseguem vender o excedente da produção com preços justos. Lembrando ainda que são produtos de ótima qualidade”, avalia o secretário.

Já em Presidente Kennedy, o coordenador do Cras, Jalles Adriany da Silva, recebeu, na manhã desta segunda-feira, 22,  milho verde, coco verde, banana, abóbora e mandioca. Para ele o programa contribui de forma significativa com a população mais vulnerável.  

“Não estamos vivendo dias fáceis. Então receber uma ajuda como essa e ainda poder contribuir com as pessoas que mais necessitam é de suma importância. Com os alimentos cedidos pelo PAA é possível melhorar a qualidade das refeições de 180 famílias por nós atendidas, e acaba impulsionando também a agricultura familiar que é o mais importante”, frisa.

PAA

Para este ano, a previsão é beneficiar cerca de 6 mil pequenos agricultores em todo Estado. Cada unidade familiar pode vender o valor de até R$ 6,5 mil ao PAA por ano. Já as entidades que vão receber os alimentos somam 1.132 instituições.

Requisitos

Podem participar do programa agricultores familiares tradicionais, assentados da reforma agrária, extrativistas, piscicultores, pescadores artesanais, indígenas, integrantes de comunidades remanescentes de quilombos rurais, demais povos e comunidades tradicionais.

Como funciona

Os agricultores familiares vendem seus produtos para o governo. Os produtos adquiridos são destinados a escolas ou doados para entidades da rede socioassistencial, como creches, abrigos de idosos, hospitais, Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apaes), dentre outros públicos.