Notícias

Produção de mandioca apresenta resultados positivos com adoção de novas tecnologias e boas práticas de produção

28/06/2019 - Amanda Oliveira/Governo do Tocantins

Com a capacitação de técnicos do Instituto de Desenvolvimento Rural do Tocantins (Ruraltins), realizada por meio do projeto de desenvolvimento de difusão de boas práticas nas culturas do arroz, feijão e mandioca, produtores de mandioca se destacam com a implantação de Unidades de Referência Tecnológicas (URTs), apresentando resultados satisfatórios em pouco mais de um ano.

Segundo o extensionista do Ruraltins, Saint Hunter Silva Marden, um dos técnicos responsáveis pelo sucesso das URTs, o bom planejamento prevendo o combate a pragas e doenças, a adubação e os tratos culturais, bem como a qualificação dos agricultores, garantem a expressividade dos resultados. "A mandioca não tem uma receita própria. Cada área proporciona resultados diferentes na produção, as variedades apresentam diferenças de uma área para outra, devido ao manejo e ao tipo de solo. Dessa forma, o planejamento deve ser bem feito, porque se a cultura for conduzida de maneira inadequada, a produção ficará comprometida. O grande diferencial entre os produtores que se profissionalizam é que irão permanecer no mercado, crescer e obter resultados. E os produtores que ainda resistem às novas tecnologias, logo saem de mercado, ou troca de cultura devido à falta de profissionalização”, observou o técnico.

O produtor Cristiano Barros Domingues, um dos casos de sucesso, morador da Chácara Beira Rio, na zona rural de Porto Nacional, descreve que em sua primeira experiência com a produção de mandioca, os resultados têm superado as expectativas. "Apesar dos desafios, com as tecnologias que a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e Ruraltins trouxeram, além do apoio da Secretaria da Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro),  estamos produzindo mais, com menos mão de obra, e esperamos alcançar uma produtividade ideal que seria acima das 20 toneladas por hectare em um período curto de cinco meses”, disse.

O produtor explica ainda que com a aplicação de tecnologias, nas variedades que já eram cultivadas, a produção deu um salto de 10 a 12  toneladas, para quase 20 toneladas, em produtividade. “A variedade da mandioca cacau já vem sendo cultivada na região há muito tempo, mas com as tecnologias empregadas, o retorno foi mais rápido. Hoje temos seis variedades novas da Embrapa, e em alguns ensaios que realizamos todas elas deram mais que 25 toneladas. Ainda estamos na fase de escolha, daqui até a próxima safra com certeza vai despontar para as 30 toneladas anuais. Fazendo uso das tecnologias, o retorno virá precisamente entre 6 a 8 meses” afirma o produtor.

A gerente de Agricultura, Agronegócio e Pecuária da Seagro, Eliane Lagares, coordenadora da ação de qualificação de técnicos e produtores, nota que o programa que foi para atender o cultivo de arroz,feijão e mandioca, se destacou em maiores resultados com a cultura da mandioca, que está presente nos 139 municípios do Estado. A gerente destaca que foram implantadas 34 URT´s dentre as culturas de arroz, feijão e mandioca. “O convenio trouxe bastante resultado, expandiu a visão dos técnicos, o conhecimento e atratividade com o produtor, e connsequentemente aumentou a procura dos produtores pelas culturas e a aplicação de tecnologias mais avançadas para obtenção de maior produtividade. Comprovamos resultados bastante satisfatórios, por meio de avaliação realizada antes e depois da produção”, disse.

De acordo com o pesquisador da Embrapa, Doutor Gustavo Azevedo Campos, o projeto da mandiocultura apresenta resultados nas Unidades de Referencia Tecnológicas
devido ao apoio dos diversos parceiros, que contribuem para o sucesso da produtividade. O pesquisador aponta que as tecnologias aplicadas, fazem toda diferença no lucro obtido pelo produtor. “Temos um coroamento de resultados, inclusive das capacitações dos técnicos de várias regiões do norte do Estado, que agora podem apresentar os casos de sucesso. Houve um alto ganho de informações para os técnicos na mandiocultura, de um ano atrás para o atual. Informações e práticas aplicáveis, que já estão em uso pelos empreendedores rurais do Tocantins. As URTs servem como pontos de referencias, onde é possível levar outros produtores para mostrar o processo de manejo, e assim aplicar o que deu certo em sua área de produção", frisou, complementando que o agricultor deve usar bem as ramas que já se adaptaram ao clima e solo, pois as boas práticas das tecnologias incentivadas é que vão fazer a diferença no resultado financeiro.

Variedades de mandioca em destaque

As variedades utilizadas nas Unidades de Referencias Tecnológicas foram Cacau, BRS-401, BRS-400, BRS-396, BRS-397, BRS-399, BRS Jaris, BRS Mulatinha, Mandioca Pão, Mandioca pão preto, Cacau melhorada. Dentre as cultivares implantadas, a BRS-397 se destacou com melhores resultados.

Coordenação

O projeto de desenvolvimento de difusão de boas práticas nas culturas do arroz, feijão e mandioca, realizado desde 2015, é  coordenado pela Secretaria Estadual de Agricultura, Pecuária e Aquicultura (Seagro), em parceria com o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), Ruraltins, Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) e Universidade Estadual do Tocantins (Unitins), tendo como foco a capacitação de técnicos e produtores rurais.