Notícias

Censo da Piscicultura, licenciamento ambiental e mercado são temas do II seminário da piscicultura em Almas

30/10/2018 - Iranilde Gonçalves/Governo do TO

Presente no II Seminário Regional: Peixe um Cardume de Oportunidades, no ultimo dia 26, o Instituto de Desenvolvimento Rural do Estado (Ruraltins), participou do evento levando informações importantes sobre a piscicultura, licenciamento ambiental e oportunidade de mercado.

O II Seminário Regional: Peixe um Cardume de Oportunidades foi uma realização do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), em parceria com o Ruraltins, Naturatins, Prefeitura Municipal de Almas e a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa), contou com a participação do expert em pesca esportiva, Ruy Façanário, do especialista e pesquisador Carlos Magno Campos da Rocha,  de diversos prefeitos da região, entre outras autoridades locais e estudantes, que prestigiaram o evento. O Seminário teve como objetivo, divulgar as inúmeras possibilidades de transformação do potencial da piscicultura na região.

De acordo com Andrey Costa, na região sudeste foi identificadas 259 propriedades com possibilidade de piscicultura, e que entre as três principais espécies de peixes produzidos estão: Tambaqui, com aproximadamente 5 mil toneladas; peixes redondos com mais de 2,600 mil toneladas e o surubim/pintado com cerca de 1,300 toneladas, ano, com destaque para o município de Almas, sendo o principal produtor de peixe do Estado

O Ruraltins, um dos convidados especiais para o evento, ministrou três palestras enfocando o processo de assistência técnica para a obtenção da regularização ambiental para produção de peixe, oportunidade no mercado de peixes e os resultados do Censo da Piscicultura na região. As palestras foram ministradas pelos extensionistas Dyego Santana, engenheiro ambiental, Erlane Rocha, engenheira de alimentos e Andrey Costa, gerente de Aquicultura e Pesca do Ruraltins

Na região sudeste, o destaque foi para o potencial da piscicultura, com produção anual de 9.621 toneladas de peixes, movimentando mais de R$ 97 milhões na região, que envolve 13 municípios da região sudeste.